Autoridades de Araçatuba discutem como resolver problema das creches

Representantes do Ministério Público, da prefeitura e da Câmara de Vereadores se reuniram em Araçatuba (SP), para discutir soluções para o problema da falta de creches na cidade. Cerca de 700 crianças aguardam uma vaga.

Dentre as medidas apresentadas, uma delas é criar uma central de vagas e exigir um cronograma de conclusão de obras da prefeitura. A dona de casa Kelly Pereira da Costa espera por uma vaga para o filho de 10 meses, desde o ano passado. Ela já foi a três creches, e todas estão com a capacidade lotada. Por não ter onde deixar Davi, a mãe está sem trabalhar.  “Toda criança tem direito a educação e eu não tenho como trabalhar porque não tem com quem deixar o bebê”, afirma.

Assim como Kelly, outras mães precisam cuidar dos filhos, por não encontrarem vagas em creches de Araçatuba. A cidade conta hoje com 36 escolas de ensino infantil, que não são suficientes. Mais de 400 crianças estão em listas de espera. O caso foi parar no Conselho Tutelar. “Na realidade, notamos que faltam funcionários e pensamos em fazer uma reunião para ver como resolver está situação”, afirma o conselheiro titular Edson José da Rocha.

Além desse encontro, nesta sexta-feira foi feita uma reunião entre Ministério Público, vereadores, conselho municipal de educação e conselho tutelar para discutir o assunto. Foi proposta a criação de uma central de vagas, que deve facilitar a distribuição dos alunos às escolas mais próximas de suas casas.





A prefeitura de Araçatuba também deve apresentar um cronograma com a data de entrega das creches que estão em construção. Ao todo são quatro. “Objetivo acho que foi atingido, que é analisar como colocar mais crianças dentro das creches e vamos avançar neste sentido”, diz o secretário de educação, Luiz Carlos Custódio.

Esse problema não é apenas em Araçatuba. Toda região sofre com a falta de vagas em creches. Mais de 1.500 crianças de 0 a 6 anos estão fora do ensino infantil em pelo menos 10 cidades do noroeste paulista. Para mudar isso, o governo do Estado anunciou que vai construir novas creches nesses locais, por meio do programa Creche Escola.

Em Birigui (SP) há um déficit de 300 vagas. Cinco novas creches estão sendo construídas na cidade, com capacidade para atender 1.015 crianças. Penápolis (SP) também sofre com a falta de vagas. Mais de 400  crianças estão na fila de espera. Duas novas creches serão abertas, mas para atender somente parte demanda. Em Bilac (SP), 50 crianças esperam por uma vaga. Hoje, a cidade conta com apenas uma escola de ensino infantil. A cidade também vai ganhar uma nova unidade com 120 vagas.

A prefeitura de Birigui informou que duas das cinco novas creches serão entregues ainda nesse ano. Uma outra escola ficará pronta no primeiro semestre do ano que vem e outras duas ainda estão em fase de licitação. A prefeitura de Penápolis afirmou que para construir as duas novas creches espera a liberação de verba do governo estadual. Para Araçatuba, a secretaria municipal de educação afirmou na reunião que as novas creches ficarão prontas no começo do ano que vem.

Fonte: G1





Deixe seu comentário